Vestibular unificado

Vestibular unificado

Após longos anos de preparação durante o ensino regular e até mesmo cursinhos chega-se a hora de enfrentar os temidos vestibulares para a conquista da tão sonhada vaga em uma universidade de prestígio para se formar. Esse método de avaliação tem sofrido diversas mudanças a cada ano com o objetivo de se tornar mais justo e coerentes sendo que dentre essas variações deve-se destacar o vestibular unificado.

O vestibular passou a ser unificado do ponto de vista de quem irá aplicar a prova uma vez que é usado as mesmas avaliações, nas mesmas datas e horários como critério de seleção. Um exemplo claro disso é o Exame Nacional do Ensino Médio ou, mais popularmente conhecido como, ENEM.

Apesar de ainda não ser o modelo adotado para ingressar em todas as universidades públicas do país, trata-se uma metodologia que tem uma ideia interessante a ser desenvolvida uma vez que não exige que o candidato se submeta a diversas provas em um curto período de tempo. Deve se destacar que isso ainda pode prejudicar o seu desempenho devido à grande pressão e exigências das provas, por isso o vestibular unificado pode ser o caminho certo.

Criação

Anunciado em 2009 pelo Ministério da Educação, o vestibular unificado modificou o processo seletivo de mais de cinco milhões de candidatos que a cada ano tentam conquistar uma vaga nas universidades brasileiras. Por meio de uma única prova será possível direcionar todos candidatos intencionados a preencher uma vaga dentre os diversos cursos oferecidos pelas cinquenta e cinco faculdades do Brasil.

Não há dúvidas de que a criação de um programa como esse irá facilitar e muito a vida de muitos estudantes, pois permitirá que fiquem livres das conhecidas maratonas de exames que precisam enfrentar para garantir um lugar cativo em alguma universidade.

Além disso, deve se destacar que o desenvolvimento de um exame como esse irá permitir que moradores de diversas regiões do país se candidatem a vagas de outros estados. Pode-se concluir que o vestibular unificado, sem dúvida, é a medida certa para gerar as mesmas oportunidades para todos uma vez que existem muitas universidades concentradas apenas em alguns estados como, por exemplo, em São Paulo e Minas Gerais.

Proposta

O desenvolvimento do programa para oferecer o vestibular unificado aborda, a princípio, apenas as vagas ofertadas pelas universidades federais de modo direto, ou seja, em grande parte das universidades públicas deixaram de aplicar os seus tradicionais vestibulares para aderir a ideia de apenas um exame.

No entanto, é fundamental destacar que algumas universidades de grande prestigio ainda não aderiram a esse novo formato, pois acreditam que as questões da prova não possuem a dificuldade desejada para manter selecionar os melhores alunos.

Dentre esses casos pode-se destacar a USP, Unicamp e UNESP que são três universidades dentre as melhores do país. Ao comparar os exames do ENEM com as avaliações de cada, sem dúvida, é possível perceber que as provas apresentam um nível de dificuldade bastante semelhante.

Esse é um ponto que ainda deve ser trabalhado, pois trata-se de uma questão muito difícil de ser atendida já que é difícil manter os mesmos níveis de avaliações de tantas universidades diferentes. Por isso, esse ponto ainda é visto como um impasse muito embora algumas ideias já tenham surgido.

Ideias

Recentemente, a USP aderiu a ideia do vestibular unificado de modo parcial, ou seja, para o ano de 2017 irá oferecer cerca de vinte e dois por cento das vagas por meio do ENEM. Isso, sem dúvida, já é um grande passo que comprova que esse tipo de avaliação será o novo padrão dos vestibulares.

Embora essa universidade tenha demonstrado acreditar nesse formato ainda existe muito a ser trabalhado para que seja possível não chegar a oferecer cem por cento das vagas como também fazer com que as demais universidades optem por esse tipo de vestibular.

Vale destacar ainda que a USP já ofertou no ano de 2016 algumas vagas que ao ser comparado com as disponibilizadas para o 2017 permitir inferir que houve um aumento de cinquenta e sete por cento das vagas, ou seja, de 1.489 saltou para 2.338 vagas.

Programas importantes

A viabilidade do vestibular unificado está diretamente ligada com programas como o Sisu e o ProUni já que apenas a aplicação de um exame como esse não iria possibilitar o acesso as vagas de forma permitir a utilização da nota obtida em diferentes universidades.

Após o Ministério da Educação liberar as notas do último ENEM aplicado, os candidatos precisam estar atentos aos prazos para inscrição no sistema do Sisu, pois será por meio dessa plataforma que será possível consultar e se inscrever em duas dentre milhares de possibilidades de vagas existentes.

Ao final de cada dia, o sistema irá gerar uma classificação parcial para que os candidatos possam acompanhar a sua classificação e se necessário optar por outro curso que a nota seja maior do que a de corte.

Esse esquema também vale para o ProUni que funciona de modo análago, mas oferta vagas de faculdades particulares e em uma quantidade menor. Portanto, o vestibular unificado tem demonstrada grande potencial para permitir que todos tem acesso as mesmas oportunidades.

Comentários