Grau de hidratação dos ácidos. Nomenclatura dos ácidos

Por meio do grau de hidratação dos ácidos é possível definir a nomenclatura de alguns deles. Aproveite para saber mais!

Hidratação dos ácidos, fosfórico, elemento

O grau de hidratação dos ácidos pode ser entendido como a quantidade de moléculas de água que podem ser retiradas da estrutura de algum ácido inorgânico. Por meio disso, é que se pode realizar a inferência do grau de hidratação dos ácidos. Logo, trata-se de uma forma de classificação dada a elementos.

Com base na identificação do grau de hidratação que o ácido apresente, pode-se determinar a quantidade de moléculas de água que ser extraídas do elemento. No entanto, é preciso destacar que esse tipo de classificação é aplicado somente a alguns oxiácido, ou seja, ácidos que apresentam oxigênio em sua composição.

Além disso, vale a pena destacar que a classificação por grau de hidratação dos ácidos não é utilizada para os hidrácido, pois é necessário levar em consideração que as moléculas de água são formadas por um átomo de oxigênio e dois átomos de hidrogênio.

Como os hidrácido não apresentam átomos de oxigênio em sua composição não podem ser categorizados de acordo com o grau de hidratação.

Classificação

Após analisar as ressalvas destacadas anteriormente a respeito do processo de classificação do grau de hidratação dos ácidos, já é possível conferir as categorias que os oxiácidos podem ser agrupados que são orto, piro ou meta. Para isso, basta levar em consideração o número de moléculas de água que podem ser extraídas de cada oxiácido em questão.

Por isso, antes de começar a realizar os seus exercícios não deixe de conferir o desenvolvimento do conceito dessas três categorias de hidratação dos ácidos que foram citadas.

Orto

Os ácidos que apresentam uma alta concentração de moléculas de água devem ser considerados como pertencentes a classificação orto e, por isso, também pode ser chamado de orto. Por meio desse conceito, é possível compreender a nomenclatura de muitas ácidos uma vez que é utilizado a quantidade de moléculas de água para definir o nome do composto.

Para ficar mais fácil de entender, basta tomar como exemplo o ácido ortofosfórico (H3PO4). Como já esclarecido, esse composto recebe esse nome devido ao fato de que é bastante hidratado. No entanto, é necessário deixar claro que durante a leitura de conteúdos sobre química pode-se encontrar apenas ácido fosfórico.

A justificativa para isso está no fato de que o prefixo orto é considerado dispensável e, por isso, o ácido será identificado na grande maioria dos casos como apenas fosfórico. O mais importante é não esquecer essa classificação do grau de hidratação dos ácidos.

Alguns outros exemplos de ácidos que são definidos como orto são:

  • H4SiO4 (ácido silícico)
  • H3SbO4 (ácido antimônico)
  • H3AsO4 (ácido arsênico)
  • H3BO3 (ácido bórico)
  • H2CrO4 (ácido crômico)
  • H3PO4 (ácido fosfórico)

Piro

A segunda opção de categoria para classificar os oxiácidos é o piro. Para definir um determinado ácido como pertencente a esse grupo, é preciso que seja levado em consideração o ácido orto, mas apenas como um ponto de referência.

Para determinar a classificação de um ácido, basta verificar se o ácido em questão possui duas moléculas do tipo orto com uma molécula de água a menor. Caso esteja com dificuldade em entender esse conceito, não deixe de conferir o exemplo destacado a seguir visto que certamente irá lhe ajudar a entender o grau de hidratação dos ácidos.

Exemplo: o ácido pirofosfórico (H4P2O7) recebe esse nome devido ao fato de que possui duas moléculas do composto ácido ortofosfórico (H3PO4), como apresentado na classificação orto, menos uma molécula de água. Ao comparar essa estrutura com a definição de piro, tem-se exatamente a composição necessária para que oxiácido em questão receba essa classificação.

Um outro exemplo de ácido que é definido como piro é o ácido pirofosfórico (H4P2O6).

Meta

E, por fim, a última opção de classificação do grau de hidratação dos ácidos é o meta. Assim como o piro, ele apresenta uma definição bastante parecida, ou seja, para que um oxiácido seja considerado como pertencente ao grupo meta ele deve possui a seguinte estrutura: uma molécula de orto menos uma molécula de água.

Para ficar mais claro ainda mais claro esse conceito de categorização do tipo meta, basta analisar o caso do ácido metafosfórico (HPO3). Ao verificar a estrutura de oxiácido, sem dúvida, você chegará ao mesmo resultado, ou seja, que o grau de hidratação dos ácidos que apresentam uma molécula orto menos uma molécula de água.

Ao contrário do caso orto que o prefixo era dispensável, tanto no piro como no meta, o prefixo deve ser utilizado. Caso contrário, pode ocorrer uma confusão sobre a estrutura do oxiácido, principalmente, quando a estrutura não é devidamente analisada.

Como visto, determinar o grau de hidratação dos oxiácidos não é uma tarefa muito difícil. Basicamente, basta seguir os passos que foram destacados para identificar a estrutura do elemento em questão. Com esses dados em mãos, já é possível identificar a categoria do ácido em questão, ou seja, se vai ser orto, piro ou meta.

Essas são algumas dicas sobre o conceito de hidratação dos ácidos.

Comentários