A história política recente do Irã

A política recente do Irá passou por diversos eventos que marcaram a história do país. Aproveite para saber mais sobre o assunto.

Política recente do Irã, Mohammad Mossadegh, ditadura

Por meio de uma análise de ponto de vista histórico, nada há dúvidas de que o país Irão pode ser visto como uma das nações que sofrem bastante influencia pela expansão da ideologia islâmica. Ao longo da história, o grupo de seguidores dessas ideias dessa religião maracam tanto o período medieval como também a política recente do Irã.

Ter um domínio claro sobre as peculiaridades desse país, sem dúvidas, pode ser considerado uma tarefa bastante difícil devido aos diversos conflitos existentes entre as camadas sociais dessa região.

Durante a construção desse tipo de conhecimento, uma das questões que não pode deixe de ser colocada em pauta é a grande influência que os valores religiosos possuem sobre a política recente do Irã.

Além disso, é necessário destacar que o pensamento pregado pela religião islâmica pode ser relacionado diretamente com as manifestações apresentadas em diferentes esferas do cotidiano do povo iraniano.

No entanto, também é preciso deixar claro que a compreensão das peculiaridades desse estado não se deve restringir apenas ao conturbado cenário da política recente do Irã, ou seja, não se deve apenas se limitar a analisar criticamente a grande influência do pensamento islâmico sobre a cultura de um povo.

Contextualização

O Irã é uma nação antiga conhecida como Pérsia caracterizada por ser um império principal no seu próprio direito. No entanto, ao longo do tempo a região foi invadida por muitas culturas como, por exemplo, árabes, turcos, mongóis e dentre outros. Como já era de esperar, essa grande miscigenação gerou como resultado um território bastante modificado.

Devido aos diversos conflitos existentes, a política recente do Irão tem sofrido para aplicar medidas que levem desenvolvimento ao país, mas com força de liderança beligerante, conseguiu reafirmar continuamente uma identidade nacional própria.

Apesar de todos os contratempos que a região enfrente, é interessante ressaltar que ao longo dos anos, o Irã conseguiu apresentar um certo desenvolvimento como entidade regional e cultural.

Já em relação a história moderna iraniana, pode-se afirmar que ela começou com uma revolta nacionalista contra o Shah, que permaneceu no poder em 1905, a concessão de uma constituição limitada em 1906 e a descoberta de petróleo em 1908.

Petróleo

Para falar do país iraniano é inevitável não discutir as grandes reservas petrolíferas que o país apresenta. Esse foi o principal motivo que, nas primeiras décadas do século XX, o Irã chamou a atenção da região Ocidental devido reservas valiosas de petróleo que a região apresentava.

Vale a pena destacar que o petróleo é uma das matérias primas mais valiosos e, por isso, apresenta um grande valor de mercado. Ao analisar a condição econômica e a política recente do Irã, sem dúvidas, pode-se afirmar que o país é totalmente dependente desse recurso fóssil.

A descoberta das grandes reservas colocou em xeque a relação com o governo britânico que tinha um grande interesse em manter as reservas energias provenientes da nação islâmica. No entanto, essa vontade não prevaleceu sobre os interesses do país iraniano, pois no ano de 1951 a exploração do petróleo foi nacionalizada pelo primeiro ministro Mohammad Mossadegh.

Esse pode ser considerado como um dos principais eventos da política recente do Irã visto que contribuiu para que a política econômica estrangeira sofresse um duro golpe com anúncio dessa medida.

Governo ditatorial

Com a perspectiva de crescimento econômica chegada com a nacionalização da exploração do petróleo, o então primeiro ministro ganhou bastante força política no cenário iraniano. Com a ajuda desse fator, do apoio logístico e militar norte-americano, Mohammad Reza Pahlevi implantou um governo ditatorial que era, principalmente, comprometido com os principais objetivos do bloco capitalista.

Por meio dessa jogada política, passou a ter acesso a amplos recursos que o permitiu iniciar movimentos de perseguição contra os partidários do movimento nacionalista do país iraniano. Além disso, também procurar estabelecer práticas de adoção relacionadas a vestimenta e, inclusive, a definir padrões de consumo para os ocidentais no país.

Diante dessa grande repreensão sofrida no cenário político recente do Irã, os nacionalistas focaram na manutenção da orientação política no interior de mesquitas da região.

Posteriormente a esse evento, houve uma tentativa de organização entre os nacionalistas e os que defendiam as ideias religiosas sob o comando de aiatolá Ruhollah Khomeini. No entanto, essa tentativa de interferência política rapidamente foi contida quando esse organizador foi obrigado a se retirar do país e se exilar no Iraque.

Conflitos

Devido à grande infelicidade do povo com o governo ditatorial, no ano de 1979 se iniciou uma série de revoltas, greves e protestos que confirmavam a instabilidade política apresentada pelo governo Reza Pahlevi. Por meio da intensificação desses movimentos se iniciou a chamada revolução iraniana que foi fundamental para o estabelecimento de um estado de interesses conservadores.

A política recente no país iraniano passou por grandes eventos e ainda vive um cenário de grande interferência estrangeira devido aos grandes interesses existentes em torno da exploração do petróleo que é uma das principais matérias primas do mundo.

Comentários