Orações coordenadas e orações subordinadas

As orações coordenadas e orações subordinas são assuntos importantes da língua portuguesa. Aproveite para saber mais sobre esses tópicos.

Orações coordenadas, orações subordinadas, português, oração

A língua portuguesa é uma área de estudo bastante abrangente, mas que precisa ser conhecida para que seja possível escrever bons textos e até mesmo para falar corretamente. Durante a rotina do dia a dia que envolve a vida profissional e pessoa, cada vez mais se faz necessário entender esse assunto. As orações coordenadas e orações subordinadas é um dos tópicos importantes que a área aborda.

Para facilitar o estudo, o conteúdo está dividido, basicamente, em dois tópicos principais que são as orações coordenadas e as orações subordinadas.

Coordenadas

As orações coordenadas podem ser entendidas como orações que possuem a capacidade de se unirem umas às outras por meio da utilização de uma conjunção. Ou seja, as frases são classificadas como coordenadas quando há um determinado período, mas composto.

Geralmente, são constituídas por duas ou mais sentenças e estão ligadas a outra oração pelo sentido, embora sejam independentes de ponto de vista sintático. Para que possam fazer sentido, as orações coordenadas utilizam de vírgulas ou conjunções, mas que podem ser compreendidas de modo separado sem afetar o sentido de cada sentença.

Portanto, para identificar uma oração coordenada é preciso verificar se existem orações independentes, ou seja, sem nenhum tipo de relação sintática entre as sentenças. Esse tópico é classificado sentenças coordenadas sindéticas e sentenças coordenadas assindéticas.

Sentenças assindéticas

A grande diferença desse tipo de oração está no fato de que elas não são ligadas por meio do uso de conjunções. Para se relacionar com outra sentença, nesse tipo de oração é utilizado elementos denominados de articuladores como, por exemplo, o ponto e vírgula, a virgula e o ponto. Por possuírem essa característica, se diz que elas são formadas por um fenômeno conhecido como assíndeto.

O propósito das orações assindéticas é serem utilizados em situações que necessitem de informações enumeradas. Isso é independente se é um fato, uma pessoa ou um objeto qualquer. Por meio disso, o locutor ou escritor não precisa recorrer a uma repetição de termos.

Para ficar mais claro, confira alguns exemplos de sentença coordenada assindética:

  • Não comiam há dias. Todos estavam com fome.

As seguintes conclusões podem ser tiradas desse exemplo:

  • A primeira oração é formada por “Não comiam há dias’.
  • A segunda oração é formada por “Todos estavam com fome”.
  • Ambas são sentenças coordenadas assindética, pois as sentenças estão separadas por ponto e, segundo a definição, o ponto e vírgula, a virgula e o ponto são casos desse tipo de oração.

Sentença sindética

As sentenças coordenadas sindéticas podem ser identificadas por meio de um período composto que é ligado através de uma conjunção. Nesse caso as sentenças podem ser explicativas, conclusivas, alternativas, adversativas e aditivas. Confira alguns exemplos de conectivos:

  • Explicativas: pois, que, porque, na verdade, a saber, ou seja, isto é.
  • Conclusivas: consequentemente, então, pois, por conseguinte, por fim, portanto, logo.
  • Alternativas: seja, quer, ora, ou.
  • Adversativas: senão, assim, ainda, no entanto, porém, entretanto, todavia, contudo, mas, e.
  • Aditivas: assim, como, mas ainda, mas também, não só, nem, e.

Subordinadas

Já a classificação das sentenças subordinadas se caracteriza quando um período composto, ou seja, formado por duas ou mais sentenças, mas que possuem função sintática com relação a sentença principal. Portanto, essas orações atuam em uma frase com o intuito de complementar o sentido e, por isso, é dependente da sentença principal.

Esse tipo de oração pode ser classificado em duas formas que são a desenvolvida ou reduzida. As sentenças subordinadas desenvolvidas podem ser identificadas por meio de sua introdução que é feita por locuções conjuntivas ou conjunções, pronomes e sempre apresentam o verbo no modo subjuntivo ou indicativo.

Enquanto que as orações subordinadas reduzidas não apresentam esse tipo de introdução, mas sim verbo no infinitivo, particípio e gerúndio. Além disso, esse tipo de oração pode ser classificado em adverbiais, adjetivas e substantivas.

Subordinadas substantivas

São as sentenças que exercem o papel de predicado nominal e aposto, complemento nominal, objeto indireto, objeto direto e sujeito. Geralmente, são iniciadas pelas conjunções integrasses se e que. Os seis tipos de orações subordinadas substantiva são:

  • Subjetiva
  • Apositiva
  • Predicativa
  • Completiva nominal
  • Objetiva indireta
  • Objetiva direta
  • Subjetiva

Subordinadas adjetivas

As sentenças subordinadas adjetivas são orações que possuem o mesmo papel de um adjetivo na estrutura da frase, ou seja, exerce a função de adjunto adnominal de uma palavra da sentença principal. Na grande maioria dos casos, começam com o pronome relativo que. Os dois tipos de orações subordinadas adjetivas são:

  • Explicativa
  • Restritiva

Subordinadas adverbiais

Exercem o papel de ajunto adverbial do verbo da sentença principal e, portanto, tem a mesma função de um adverbio na estrutura da frase. Os nove tipos de orações subordinadas adverbiais são:

  • Proporcional
  • Conformativa
  • Comparativa
  • Concessiva
  • Temporal
  • Final
  • Consecutiva
  • Causal

Esses são alguns pontos importantes sobre as orações coordenadas e orações subordinadas. Esses recursos possuem um papel fundamental para a construção de uma oração e para o sentido de um texto assim como também para a língua falada.

Comentários