Vírus (Biologia)

Vírus SV40

Os vírus são organismos que não são constituídos por células, ou seja, são acelulares. São considerados agentes infecciosos e parasitas obrigatórios, pois não possuem um metabolismo próprio. Por este motivo, os vírus não conseguem, por exemplo, gerar energia sozinhos ou excreção de substâncias.

As partículas virais são extremamente pequenas, sendo visíveis apenas em microscópios eletrônicos. Com isso, os vírus são capazes de invadir as menores bactérias conhecidas, como por exemplo, uma bactéria unicelular.

Estrutura das partículas virais

Existem diversos tipos de estruturas virais. Mas o vírus mais simples é formado por uma molécula de ácido nucleico envolvido por várias moléculas proteicas iguais.

Essas moléculas proteicas formam uma cápsula proteica, denominada de capsídeo e são específicos para cada tipo de vírus.

Os vírus mais completos possuem, além do ácido nucleico e do capsídeo, diversas outras estruturas em sua composição. Uma partícula viral completa é denominada vírion e possui os seguintes elementos em sua composição:

  • Ácido nucleico: Ao contrário das células, que são constituídas de DNA e RNA, os vírus possuem DNA ou RNA. Ou seja, os materiais genéticos nunca vão existir simultaneamente dentro do vírus.

Por exemplo, os vírus de plantas possuem apenas RNA. Enquanto os vírus de bactérias, geralmente, possuem DNA. Já os vírus de animais podem possuir tanto o DNA quanto o RNA.

Os vírus que possuem apenas o DNA, são chamados de adenovírus. Já os que possuem o RNA, são denominados de ribovírus.

  • Capsídeo: O capsídeo, como já informamos, é a capsula proteica que envolve o material genético do vírus.

  • Nucleocapsídeo: O Nucleocapsídeo é a associação do capsídeo mais o ácido nucleico.

  • Capsômeros: Os capsômeros são estruturas simétricas que quando estão associadas formam o capsídeo.

  • Envelope: O envelope é uma camada rica em lipídeos que reveste a partícula viral externamente.

  • Peplômeros: São constituídos de glicoproteínas e lipídeos. Essa estrutura é encontrada na parte externa do envelope.

    Estrutura viral
    Estrutura viral

    A maioria dos vírus possuem o capsídeo em formato helical (formato mais cilíndrico) ou icosaedrico (formato aproximado de uma esfera). Porém, alguns vírus desenvolveram uma estrutura mais complexa.

    Ciclo de replicação

    Os vírus são organismos que não são capazes de se reproduzir sozinhos e por este motivo são considerados parasitas obrigatórios. Isso acontece porque os vírus não possuem ribossomos e enzimas, que são responsáveis pela reprodução celular.

    Para conseguirem se reproduzir, os vírus precisam invadir um organismo vivo e este processo é chamado de replicação viral. A replicação viral irá resultar em novas cópias dos vírus dentro da célula que foi infectada.

    Cada tipo de vírus irá invadir um tipo específico de célula e chamamos isso de especificidade celular.

    A replicação viral possui seis etapas:

    1. Adsorção do vírus à célula

    Nesta primeira etapa, o vírus irá se fixar na membrana plasmática de uma célula com a qual tenha afinidade, ou a especificidade celular.

    Essa ligação é feita através de ligações iônicas, pontes de hidrogênio e ligações de Van der Waals. Quanto mais tempo dura essa interação entre a célula e o vírus, mais ela se torna irreversível.

    1. Penetração

    Assim que o vírus conseguiu fixar-se à membrana, ele precisa introduzir o seu material genético na célula que está invadindo. E essa penetração pode ocorrer de diversas maneiras e depende na natureza do vírus.

    As principais maneiras para ocorrer este processo são: A Endocitose, a Fusão e Translocação.

    Endocitose
    Endocitose
    Fusão
    Translocação
    Translocação

     

 

 

 

 

  1. Desencapamento

O desencapamento é o processo de liberação do material genético do vírus quando ele já estiver dentro da célula invadida. E para isso, o capsídeo precisa ser desmontado ou destruído, conforme imagens acima.

  1. Síntese de ácido nucleico e proteína

Nesta etapa, o material genético do vírus será reproduzido no interior da célula hospedeira. Isso é possível, pois o material genético do vírus é capaz de reprogramar o metabolismo da célula. Além da reprodução do material genético, também são produzidas as proteínas necessárias para a formação de novos capsídeos.

  1. Montagem / Maturação

Após a produção das cópias do material genético e das proteínas, ocorre a etapa da montagem dos novos vírus.

  1. Liberação das novas partículas

Nesta última etapa, os novos vírus já podem ser liberados e isso ocorre através da lise celular ou por brotamento.

Doenças virais

Inúmeras doenças são causadas pelos vírus em nós, seres humanos. Entre elas estão:

  • Gripe;

  • Resfriado comum;

  • HIV e AIDS;

  • Varicela e Catapora;

  • Sarampo;

  • Pneumonia, entre muitas outras.

O tratamento dessas doenças varia de acordo com o vírus que causou a infecção. Além dos medicamentos que podem ser tomados para o tratamento dessas doenças, existem também as vacinas que são utilizadas para prevenção das mesmas.

Mas para algumas delas, a cura ainda não foi encontrada, como é o caso do vírus da AIDS.

Afinal, são considerados seres vivos ou não?

Esse é um assunto muito discutido no meio científico e isso ocorre porque, por definição, seres vivos são aqueles que possuem metabolismo próprio, ou seja, conseguem produzir energia sem precisar de auxílio de outro organismo; e possuem ácido nucleico, onde está contido o seu material genético.

Então por este motivo, muitos cientistas têm opiniões divergentes. Existem aqueles que acreditam que não são seres vivos por não conseguirem produzir energia sozinhos, e do outro lado estão os cientistas que afirmam o contrário, pela presença do material genético e capacidade de reprodução.

Comentários