Biologia

Biologia

O funcionamento do corpo e tudo que acontece dentro dele, suas reações com o ambiente, o funcionamento de cada órgão. Tudo isso é muito complexo e uma área da ciência se encarrega de estudar cada detalhe de maneira profunda em busca das respostas e dos porquês de cada reação e acontecimento. Essa ciência é chamada de Biologia.

E não é apenas dos seres humanos que a biologia se encarrega de analisar e entender. Ela é a área responsável pelo estudo da vida! Ou seja, além dos seres humanos, essa área também compreende os animais, as vegetações, enfim, tudo que diz respeito à vida no plano terrestre.

O seu nome já mostra qual a função desta ciência para nós. Biologia é uma palavra derivada do grego juntando a palavra “bio” (vida) com a palavra “logos” (estudo). De maneira mais simples, biologia pode ser traduzida para algo como “estudo da vida” que compreende tudo aquilo que citamos acima: dos maiores animais, passando por seres humanos e chegando até aos mínimos detalhes como células e órgãos. Rigorosamente tudo que envolve a vida interessa à Biologia.

A complexidade e a variedade dos temas são tantas, que a Biologia precisou organizá-los e dividi-los em grupos, afinal, pode não parecer, mas existe uma infinidade dos seres vivos. Para isso, os biólogos criaram os reinos, agrupando seres vivos de características semelhantes.

Aqueles seres vivos com apenas uma célula, acredite, eles existem e vivem com apenas uma célula, contém uma estrutura muito mais simples e em sua maioria sequer são visíveis a olho nu. Aqui estão vírus e bactérias, por exemplo, e são classificados como Monera ou Protoctista. Os fungos também são unicelulares, mas têm algumas particularidades mais complexas e foram classificados em um novo reino: o reino Fungi.

Ainda assim, existe uma série de seres vivos muito mais complexos e que têm suas próprias características. Em comum entre o restante que não foi abrigado em nenhum dos outros três reinos que citamos (Monera, Protoctista e Fungi) estão no fato de serem multicelulares, ou seja, compostos por um conjunto de células. É o caso dos animais, entre os quais estamos inclusos, e as plantas. A esses dois grupos, dois reinos diferentes: Animalia e Plantae, respectivamente.

Pode parecer confuso, mas é apenas uma nomenclatura para organizar os diversos temas existentes, assim como organizamos nossos papéis do dia-a-dia em pastas ou arquivos e não colocamos os desenhos junto com as provas da escola, não é mesmo? Dentro de cada um desses reinos existe uma grande divisão de cada tipo específico de ser vivo, mas isso é assunto para outro dia.

Mesmo com a classificação dos seres vivos e são muitos, ainda tem muita coisa a ser organizada. Portanto, os biólogos também separaram os pequenos assuntos em áreas de estudo. Existem áreas focadas em alguns reinos específicos e existem outras que se aprofundam em todos os reinos, tudo isso tentando explicar da melhor maneira possível como tudo funciona.

Começando pelo mais simples, cada reino tem uma área de estudo específica para o seu agrupamento. O reino das plantas é estudado pela área chamada de Botânica, onde tudo que envolve e interessa nesse assunto é estudado, analisado e testado, buscando a maior riqueza de detalhes e informações. O mesmo acontece com os animais na Zoologia, com os fungos na Micologia e com os micro-organismos na Microbiologia.

Mesmo assim, ainda existem áreas que apresentam conteúdo que não valem apenas para um dos reinos possíveis. A relação de cada ser vivo com o meio ambiente, ou seja, como se comportam, quais as reações, como sobrevivem e o que acontece ao longo do tempo. Tudo isso também é analisado, mas certamente não vale para apenas um dos grupos de seres vivos. Afinal, nestes assuntos eles passam a interagir, correto?

Os animais, por exemplo, podem se alimentar de sementes deixadas pelas árvores. Logo, teríamos uma interação do reino Animalia com o reino Plantae, certo? E após comer essa semente, qual a reação? Tudo isso é estudado através de duas áreas: a Ecologia, que estuda a relação dos seres vivos entre si e a relação que eles apresentam com o seu ambiente, e a Evolução, que analisa as adaptações e mudanças ocorridas ao longo do tempo.

Ainda assim, falta alguma coisa, certo? Já vimos os grupos de seres vivos existentes, como eles interagem, as reações ao longo do tempo, mas como funcionam? O que há dentro deles? Embora uma parte desses estudos possa estar na análise individual de cada grupo (Zoologia ou Botânica, por exemplo), existem áreas focadas nessa análise.

Os órgãos e sistemas que permitem os processos como alimentação e respiração, por exemplo, são estudados por uma área chamada Anatomia. Entre os órgãos e a pele existe uma série de tecidos que não conseguimos enxergar. Os biólogos não apenas buscam enxerga-los, como também entendê-los na Histologia.

Por fim, mas não menos importante, está o resumo da vida: as células. Agora que você já sabe que existem seres vivos que vivem existindo com uma única célula, certamente já sabe o quão importante ela é. Ela é vital para o funcionamento dos sistemas e dos órgãos e que permitirá todas as relações possíveis entre os seres vivos e o meio ambiente. A célula, basicamente, é a unidade que permite que tudo isso exista e aconteça.

Comentários